logo

A corda é um item obrigatório na prática de rapel, canionismo, escalada, acesso por corda e alpinismo industrial.

Além de ser usada para fins esportivos e profissionais, o item também serve de ''quebra galho'' em situações do cotidiano como por exemplo: amarrar algum item na caminhonete.

No entanto, a escolha de uma corda é bem complexa. Então, pensando em ajuda-los, vamos listar tudo que você precisa saber para escolher uma corda e ainda vão conhecer um pouco da origem do item.

História da Corda

A origem da corda nos leva para a pré-história e para os nossos antepassados, que criavam o item com fibras vegetais e eram usadas, a princípio, para caça e captura de animais.

Ao decorrer dos anos, cada sociedade utilizou a corda de uma maneira específica. Os egípcios, por exemplo, utilizaram a corda para auxilia-los no deslocamento de pedras.

Como dito no início do texto, a corda é utilizada em diversas situações como caça, construção esportes, trabalho em altura e até uso recreativo, como pular corda.

Por isso, a importância de ter uma corda de qualidade, com certificado e aprovada nos testes. Além disso, sempre opte por comprar esse tipo de equipamento em lojas especializdas como por exemplo a NEREA.

As cordas possuem algumas variações que estão ligadas às tranças e ao material usado na confecção. Isso faz com que elas sejam específicas ou mais apropriadas para uma situação mais peculiar.

Fibras e Tranças

Primeiro vamos falar das fibras usadas para confeccionar a corda:

Naturais: São feitas, principalmente, com Sisal e Algodão. Pode encontrar variações de Cãnhamo, Manila, Rami e Juta.

Sintética: São confeccionadas com Poliamida(nylon), Polipropileno, Polietileno e Poliéster.

Agora vamos conhecer as quatro tranças mais comuns nas cordoarias:

Torcida 3 ou 4 pernas: Cordas que são mais facéis de serem feitas e comuns nos ramos navais e pesca. Possuem maior alongamento, mas podem distorcer se forem submetidas a uma tração muito forte.

Trançada Especiais: Essa trança é utilizada em náuticas, escalada e operações especiais.

Trançada com Alma: Chegou recentemente no Brasil e já está sendo utilizada em muitas situações. Os nós são feitos com extrema facilidade, por isso é usada em amarração de cargas.

Trançada sem Alma: Por não possuir ''recheio'' as alças são feitas com facilidade, por isso é usada para confecção de bolsas e acessórios de montaria.

Além do material e da trança, é recomendado olhar outros detalhes para escolher a corda que vai utilizar na sua atividade, independentemente se for uma prática profissional ou uma prática esportiva.

O que observar na hora de escolher uma corda?

Diâmetro: Dependendo da atividade e da função que você vai dar para a corda, o diâmetro implica diretamente na qualidade do funcionamento do item.

Rendimento: É a qualidade de peso encontrada em um quilo de corda. Fique atento a este item, para não se confundir.

O material usado para a fabricação da corda, interfere diretamente no valor do rendimento, mesmo o item possuindo o mesmo diâmetro.

Carga de Ruptura: Tópico super importante, pois é aqui que você vai saber se a corda vai aguentar toda a física que ela será submetida durante o uso.

Vale ressaltar que, ao dar um nó na corda, a carga de ruptura é reduzida.

Elasticidade: O alongamento é o resultado de uma combinação de elasticidade da fibra e das tranças que a corda possui.

É recomendado o uso de cordas com uma elasticidade maior, quando o usuário vai praticar alguma atividade que o ''tranco'' acontece com frequência. A elasticidade vai dar conforto ao usuário.

Carga de Trabalho: Juntamente com a Carga de Ruptura, este tópico é de extrema relevância para a escolha de uma corda, já que o valor dele é o máximo que deve ser exercido no item.

O nó também atua, neste caso, reduzindo a Carga de Trabalho, então fique atento à nova carga.

Flutuabilidade: Este item está ligado para cordas que serão utilizadas em ambientes que elas entrarão em contato com a água.

Para evitar acidentes, algumas cordas NÃO podem flutuar durante o uso, então há a necessidade de uma flutuabilidade negativo. Ela precisa afundar.

Cuidado e Recomendações

Nós: São frequentemente utilizados para ligar um equipamento no outro, porém a aplicação de um nó reduz cerca de 40% da carga de ruptura.

Então, quando for aplicar um nó, fique atento a este detalhe.

Itempéries: Após muito uso e muita exposição ao sol, produtos químicos e a água, a corda começa a se desgastar, perdendo parte da sua vida útil.

Antes de usar uma corda, sempre observa a qualidade do item.

Emendas: Diferente dos nós, as emendas não reduzem a carga de ruptura, porém elas precisam ter sido bem feitas.

As emendas são bastante utilizadas para reparar uma corda que sofreu com a abrasão.

Temperaturas: Altas e baixas temperaturas interferem no desempenho da corda. Durante o uso, fique atento se o item vai entrar em contato com temperaturas extremas.

Abrasão: O pesadelo das cordas, pois são os principais responsáveis por acabar com o item. Sempre que for montar um mecanismo onde a corda vai funcionar, procure sempre evitar que o item entre em contato com superfícies cortantes, àsperas e pontiagudas.

Produtos Químicos: Usar corda em situações que vão submeter o item ao contato com químicos NÃO é recomendado.

Sabemos que esse tipo de situação acontece, para isso, você deve entrar em contato com o fabricante e expor a sua necessidade.

Água Salgada: Extremamente nocivo com cordas feitas com fibras naturais. Devido aos seus componentes, a água salgada acelera o processo de deterioração da corda.

Nessa situação, é recomendado o uso de cordas sintéticas, que sofrem menos impacto quando entram em contato com a água salgada. Porém, as cordas sintéticas endurecem quando submetidas a esse tipo de uso.

Contato Manual: Está mais ligado ao conforto que a corda vai passar para o usuário, pois uma textura mais áspera pode causar lesões nas mãos.

É essencial observar o diâmetro da corda, pois uma corda com o diâmentro de 12mm é a ideal para situações que o contato manual é muito exigido.

Fique sempre atento nos itens que vão fornecer segurança. Quando a vida útil de uma corda chegar ao fim, não jogue o item fora. Existem outras situações onde o item pode ser útil, como por exemplo: pular corda.

Tecnologia
iSET - Plataforma de E-commerce para criar loja virtual
Plataforma de E-commerce para criar loja virtual