Rapel Seguro no JK na visão dela !

Rapel JK

“Quero maaaaiiisss!!!!!” Essa é a conclusão da Luciana Tibaes, dupla do Nilton Nerea que participou do rapel no edifício Governador Juscelino Kubitschek  - Bloco B conhecido por todos como edifício JK .

Leiam o depoimento dela vocês vão se surpreender!

Nossaaaa esse rapel foi muito louco!!! Só tinha descido de rapel de uns vinte e poucos metros de altura no máximo, mas quando recebi o convite do meu amigo Bruno pra participar deste no JK não pensei meia vez em aceitar, claro. Desmarquei compromisso e fui. Ao chegar no topo do prédio e avistar a cidade praticamente toda já foi incrível; mas a descida foi sensacional!!!!! Passado o susto e umas "pérolas" que soltei ao me deparar com a altura (kkkk), eu e meu parceiro Nilton fizemos a tomada e começamos a descida!!! Megaaaa top!!! Nos primeiros metros ainda não acreditava que estava descendo ali, mas depois "a ficha caiu" e curti horrores a vista da cidade e a cia maravilhosa, que desceu o tempo inteiro me dando uns toques e orientando em algumas coisinhas (precisei nunca tinha feito um rapel dessa altura toda); além de me "zoar" só porque  eu não conhecia o freio que ele usava (kkkk).... Nilton valeu demais!!! Experiência inenarrável!!! Simplesmente TOP!! Ao Bruno além de agradecer demais o convite e a experiência maravilhosa, só tenho uma coisinha a dizer: Quero maaaaiiisss!!!!!

Algumas dicas de segurança para a pratica do rapel:

- Equipamentos de rapel de qualidade – Não arrisque com equipamentos sem certificação ou usados. Conheça a procedência deles.

- Trabalho em Equipe! – Toda atividade em altura deve ser feita por uma equipe (pode até ser uma dupla). Nunca realiza um rapel sozinho, tenha uma equipe para conferir as ancoragens, cadeirinha, freios, mosquetões etc.  

- Utilizar cordas adequadar para cada atividade e no tamanho correto.

- Se for acompanhar ou fazer um mochilão leve todos os equipamentos em uma mochila de qualidade e confortável, para não atrapalhar sua atividade.

- Poupe energia, pense antes de agir.

- Os nós: devem ser de fácil confecção; serem seguros sem afrouxar facilmente, fácil soltura não apresentando excessiva resistência após ter sofrido fortes e prolongadas tensões.

- Lembre-se: você é responsável pela sua própria segurança e a de todos  que estão a sua volta.

 

Um pequeno dicionário da altura :

·         Ancoragem: É a situação em que o cabo está fixado a um ponto de amarração.

·         Cabo: É o mesmo que corda

·         Chicote: É a extremidade livre da corda.

·         Estropo: É um anel de corda, arrematado com um nó adequado, servindo para ser passado em torno de uma saliência da rocha, para          servir como ponto de ancoragem.

·         Permear: É dobrar a corda no meio.

·         Seio: Parte central da corda.

·         Chupar: É puxar a corda com o propósito de tenciona-la.

·         Morder: É quando o nó trava.

·         Via: É o mesmo que rota, a corda onde vai ser feita a descida.

 

Boas aventuras

 

 


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Por favor aguarde...