Everest - Novas regras para realizar expedição no local

Monte Everest

Escalar o Everest, de 8848 metros de altura, é o sonho de muitos montanhistas, mas sabia que realizar uma expedição no gigante de gelo ficou mais difícil em 2019?

Devido a banalização da subida ao monte Everest, a China criou regulamentações mais rígidas para o ano de 2019. 

 

Expedições ao Everest

Nos últimos anos, as expedições para o monte Everest foram inciadas, na maioria das vezes, pelo lado Tibetano. 

O caminho Tibetano é, historicamente, mis barato que os demais acessos para o Everest. Isso fez com que a ascensão no maior monte do mundo fosse banalizada e facilitada. 

Para alguns montanhistas, essa banalização estava tirando os créditos dos verdadeiros montanhistas que concluíram a subida após muito treino e investimento. 

Ouvindo as duras críticas que montanhistas de grande calibre estavam fazendo em relação a ascensão no monte Everest , o CTMA(Chinese Mountaineering Association and Mountaineering Association of Tibet) resolveu estabelecer normas para a realização das expedições. 

 

Regulamentações

O governo chinês vai aumentar a rigidez em quatro frentes: organização da expedição, licença para subir, proteção ambiental e resgastes na montanha. 

As expedições empresariais é um método bem comum na região e é um dos que mais influenciam na banalização da escalada do monte Everest. 

Por isso, a partir de 2019, as empresas terão mais dificuldades em realizar tal evento no monte. 

O governo chinês vai avaliar a reputação da empresa, habilidades dos expedicionários, suporte, qualidade do serviço e qualificação dos guias. 

Além disso, antes da expedição será necessário pagar uma taxa de 5500 dólares para subir. Valor que será devolvido caso não houver nenhum acidente ou incidente ambiental. 

Para melhorar a qualidade ambiental do monte Everest e conscientizar sobre o lixo deixado nas expedições. A partir de 2019, a taxa cobrada para cada montanhista será de 1700 dólares. 

Lembrando que esses dois valores são adicionados a taxa de 10.000 dólares já cobrados desde a década de 90. 

Outro detalhe é que a permissão para escalar o monte everest tem que ser dada previamente. No ano de 2019, a data limite para pedir essa permissão é até o dia 28 de fevereiro. 

O dinheiro será destinado para melhorar a infraestrutura, limpeza do monte Everest e eliminação de resíduos de montanha. 

Qual a opinião de vocês em relação a essas novas normas para realizar expedições no Monte Everest?

 


Deixe um comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado.



Por favor aguarde...